Gênero

É necessário consolidar a abordagem de gênero nos estudos e práticas a respeito da ciclomobilidade. Há uma compreensão de que, assim como outras relações sociais de poder, as relações de gênero influem diretamente sobre a mobilidade urbana e, consequentemente, sobre o direito à cidade.


GÊNERO NO CICLOATIVISMO

Diversas organizações da sociedade civil que promovem a ciclomobilidade possuem abordagens específicas e estruturas executivas e administrativas dedicadas.

ORGANIZAÇÕES CICLOATIVISTAS COM ABORDAGEM DE GÊNERO

  • UCB – União de Ciclistas do Brasil: possui GT Gênero e paridade de gênero (mínimo de 50% de mulheres) na estrutura executiva e administrativa regulada pelo seu Estatuto
  • Ciclocidade – São Paulo/SP: possui GT Gênero

ORGANIZAÇÕES CICLOATIVISTAS COM BASE EM GÊNERO 

DESTAQUES NO ACERVO

Contribua com o acervo

Insira conteúdo

Pesquise no Observatório

Pesquise

Notícias relacionadas

“‘As pessoas estão a vir para a rua de bicicleta’ e as mulheres lideram o pelotão”

“A pandemia parou o mundo, mas a sociedade aproxima-se lentamente da meta de um novo normal. A terceira fase de desconfinamento em Portugal começou esta semana e “as pessoas estão a vir para a rua com a bicicleta”. Quem o diz, ao Expresso, é José Manuel Caetano, um homem que tem “a idade do espírito, continue lendo...…

Leia mais

“Estou grávida, posso andar de bicicleta?”

“São muitas as dúvidas do que pode ou não pode durante a gravidez. Quem ama pedalar pode ficar triste com a ideia de fazer uma pausa muito longa. A boa notícia é que em uma gravidez saudável e sem riscos, é possível pedalar praticamente até o parto. Claro que podem ser necessárias algumas adaptações, como continue lendo...…

Leia mais

“Utilizador de bicicleta elétrica é homem, intelectual e de classe média-alta”

“As mulheres estão afastadas da micromobilidade, segundo um estudo conduzido por Marion Lagadic em França, que nos diz que este modelo de negócio ainda é instável e usado esporadicamente, com efeito neutro no ambiente. “O utilizador de bicicletas e scooters elétricas partilhadas é homem, intelectual e com rendimento acima da média”. Este é o perfil-tipo continue lendo...…

Leia mais

“Coletivo de mulheres e LGBTQ+ ganha notoriedade em entregas de bike por SP”

“O discurso de Aline Os destoa da realidade atual das ruas. Em um momento em que direitos de entregadores são suprimidos, quase nulos, a ciclista paulistana vai na direção contrária. Com ideais sólidos, como figura central de um coletivo de mulheres e LGBTQ+, as Señoritas Courier, ela uniu duas causas, transformando-se numa voz ativa, ouvida continue lendo...…

Leia mais

“‘Ninguém solta o guidão de ninguém’: é pela bike que elas querem mudar o mundo”

” Grupo de mulheres se reuniu em Campo Grande para incentivar outras mulheres a andar de bike. A primeira dica de Cintia é sobre a mochila. Essa é a primeira de várias sugestões que Cintia Possas, professora, dá durante a “Cicletada de Las Niñas”. Para ela, usar mochila nas costas é roubada quando se anda de bicicleta. continue lendo...…

Leia mais

“Por que mobilidade urbana também é uma questão de gênero”

” Insegurança e medo de assédio são problemas enfrentados por mulheres que usam o transporte público. Neste podcast, a pesquisadora Amíria Brasil fala sobre como esse assunto se relaciona ao planejamento das cidades Este conteúdo foi produzido pelos autores como trabalho final do Lab 99+Nexo de Jornalismo Digital, com o tema “A cidade como pauta: continue lendo...…

Leia mais

Porque falar de gênero e bicicleta? Do Brasil ao Fórum Mundial da Bicicleta no Equador

Não é possível pesquisar mobilidade urbana sem considerar que antes de uma  pesquisa propriamente dita, já debatemos nossos deslocamento na prática do dia-a-dia. Quem nunca reclamou o tempo de espera do transporte público, ou já deixou de fazer algum trajeto por conta da condição de uma calçada ou rua? Quando comecei a pesquisar sobre bicicletas, continue lendo...…

Leia mais