| |

Desigualdades de gênero, raça e renda marcam uso do transporte no DF

Essas informações constam no estudo “Como anda Brasília“, da Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan), a partir dos dados da última Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílio (PDAD), que retrata os perfis do pedestre e de quem utiliza automóvel próprio ou ônibus para deslocamento. O trabalho está disponível na página do órgão na internet.

Segundo a pesquisa, os modos mais utilizados pelas mulheres para irem ao trabalho são ônibus (42,94%), automóvel (41,25%) e a pé (17,68%). No caso dos homens, o uso de automóvel para o deslocamento ao trabalho (52,11%) aparece em primeiro lugar, seguido do ônibus (34,11%) e a pé (11,88%).


Publicação original

Para resguardar os direitos autorais da autoria, leia o restante da matéria e acesse os créditos do texto e da imagem/fotografia na publicação original:

Leia também:

Bicicleta substitui carros e ônibus durante pandemia

Para fugir das aglomerações em terminais de ônibus ou como alternativa mais saudável, a bicicleta surge como opção para quem precisa se deslocar para o trabalho nas ruas de Goiânia A pandemia da Covid-19 transformou significativamente a mobilidade urbana em todo mundo. De acordo com pesquisa da Cabify com usuários de aplicativos de mobilidade de continue lendo...…

Leia mais

“Prefeitura de SP autoriza uso de Fundo Municipal em corredores de ônibus e ciclovias para deixar deslocamentos mais seguros em época de Covid-19”

“A requalificação de corredores de ônibus e novas ciclovias deve receber mais atenção da prefeitura de São Paulo para reduzir os riscos de contágio pela Covid-19 nos deslocamentos pela cidade. A SMT – Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes autorizou o uso de recursos do FMD – Fundo Municipal de Desenvolvimento Social para estes dois continue lendo...…

Leia mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *