| |

China ainda tenta encontrar solução para bicicletas abandonadas

A Xiaoming, apenas uma das cerca de 60 empresas de aplicativos de compartilhamento de bicicletas que faliram, deixou 430 mil delas em mais de 10 cidades. Uma das maiores pilhas no centro de Xangai tinha 30 mil bicicletas abandonadas, de acordo com a agência Xinhua.

Hoje, apenas três marcas são comumente vistas nas grandes cidades. A China Recycling, de Yang, descartou cerca de 4 milhões de bicicletas compartilhadas desde 2017. A empresa gasta cerca de 10 milhões de yuans por mês comprando bicicletas usadas e peças para recuperar aço, metal e plástico. O coronavírus desencadeou um renascimento do compartilhamento de bicicletas na China, já que cidadãos continuam preocupados com o transporte público.


Publicação original

Para resguardar os direitos autorais da autoria, leia o restante da matéria e acesse os créditos do texto e da imagem/fotografia na publicação original:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *